Colocar maturidade em prática será fundamental para Mugni no Sport

(Foto: Sport)

 

Meia que sofreu com a pressão no Flamengo, diz chegar mais maduro ao Sport. Característica será crucial para seu trabalho em Recife.

 

Lucas Araújo

Um dos reforços leoninos para a temporada 2020, o meia argentino Lucas Mugni concedeu entrevista coletiva na última segunda-feira (06), e um dos assuntos abordados foi a sua passagem anterior em um time brasileiro. De acordo com o atleta, não ter suportado a pressão foi o motivo pelo qual não vingou quando vestiu a camisa do Flamengo. Com apenas 22 anos na época em que defendeu o clube carioca, o jogador alegou ter sentido peso das cobranças e que almejava uma segunda chance no Brasil, para que hoje, mais maduro, pudesse mostrar o seu valor.

O perfil que o meia apresenta em seu discurso se assemelha com a situação atual do Leão, que após sofrer com gestões desastrosas e um grande rombo financeiro, busca a reafirmação de seu lugar no cenário nacional. E será fundamental que Mugni consiga colocar suas palavras em prática e demonstrar a maturidade que adquiriu com os anos de experiência em sua carreira, considerando a responsabilidade de ser o homem de criação na equipe do Sport.

O peso de assumir essa função é potencializado pelo enorme desejo da torcida em contar com o retorno de Diego Souza, enquanto a diretoria parece cada vez mais distante de acertar com o antigo camisa 87. A exigência dos torcedores em ter uma peça que corresponda à altura daquilo que se esperava de Diego, ou pelo menos se aproxime disso, pode gerar um aumento nas cobranças em cima de quem assuma esse papel, demandando equilíbrio e paciência para enfrentar a situação sem permitir que interfira no trabalho dentro de campo.

E nos últimos dois anos, tem sido uma posição de carência no clube rubro-negro. Contratado em 2018 com boa expectativa devido à sua primeira passagem em 2015, Marlone começou bem no estadual, mas não conseguiu manter o desempenho no Brasileirão, chegando a perder a titularidade para Michel Bastos, que também não se firmou na função. Em 2019, Sammir e Leandrinho chegaram a ter bons momentos, sobretudo o segundo, mas com dificuldades físicas, não mantiveram uma regularidade.

Para 2020, Mugni inicia a princípio como favorito para ser titular na posição. O argentino concorre com a aposta Diego Noronha e o prata da casa Pablo Pardal, que tem boas referências devido ao seu desempenho nas categorias de base.