COMPARTILHAR

 

(Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

 

O técnico Milton Mendes promoveu duas entradas novas no time: Raul Prata na lateral esquerda e Matheus Peixoto no comando do ataque. Este, por sinal, deu o seu primeiro chute aos 6  minutos do primeiro tempo.

Até os 15 minutos da primeira etapa, os dois time pareciam que estavam estudando e planejando o jogo. O São Paulo, dono da casa, não promoveu um início de primeiro tempo característico de quem é tem o domínio do local da partida. Pelo lado do Sport, Milton Mendes pareceu estar calejado com os gols tomados no início do último encontro contra a Chape e, ao que parece, teve essa preocupação na orientação dos seus comandados.

Se por um lado houve um pênalti não marcado quando Winck segurou Diego Souza dentro da área rubro-negra, também aconteceu um lance que poderia dar ensejo ao tiro livre direto dentro da área do tricolor. Michel Bastos cruzou e Nene colocou o braço para evitar que ela batesse em seu peito.

Aos 37 minutos da primeira etapa, Gabriel recebe um cruzamento de Mateus Gonçalves e chuta para o afastamento da defesa do São Paulo. O escanteio em seguida não promoveu nenhum perigo de gol. Para preocupar o torcedor rubro-negro, Jair recebeu o terceiro cartão amarelo em um lance bobo perto do meio de campo do tricolor do Morumbi.

No segundo tempo, o time da casa mostrou a força de jogar em casa até os 6 minutos. Depois, até os 15 minutos, somente deu o tricolor. Aliás, a segunda metade do jogo foi, visivelmente, do time paulista. Falando de Michel Bastos, não assumiu o seu papel de armar jogadas ao ataque rubro-negro. Cansado, foi substituído sem ritmo e condições de terminar a partida. Apesar do empate, o Sport não fez um bom jogo fora de casa.

Já no final da partida, Winck é expulso depois de colocar o braço no rosto do adversário. Ele, ao lado de Jair, não jogam o próximo jogo contra o Santos, domingo, às 16h, na Ilha do Retiro.

Pratique Sport com a gente!