COMPARTILHAR

Visualização da imagem

(Foto: Site oficial / Sport Club do Recife)

 

 

Leão teve dois bons públicos nos últimos dois jogos, realizados na Arena de Pernambuco. No entanto, a insatisfação da torcida foi nítida em vários aspectos

 

 

Por Lucas Araújo 

 

Depois de mais de um ano, o Sport voltou a atuar na Arena de Pernambuco como mandante. A última vez havia sido no empate com o Corinthians, em 1×1, em maio do ano passado. Nos jogos contra Guarani e Coritiba, realizados na última semana, o placar se repetiu, assim como os bons públicos que o Leão é acostumado a colocar no moderno estádio. Porém, velhas críticas também fizeram parte da passagem rubro-negra em São Lourenço.

Na segunda-feira (29), pela 13ª rodada, os leoninos receberam o Guarani, após uma grande vitória, fora de casa, diante do então embalado vice-líder Paraná. Mesmo às 20h de uma segunda, a torcida se deslocou em grande número e mais de 18 mil se fizeram presentes para assistir ao desanimador empate por 1×1. No entanto, o resultado, aquém do esperado, e o futebol nada inspirada do time não foram as únicas críticas dos rubro-negros.

Como sempre, um trânsito muito intenso na BR 232 atrasou grande parte da torcida. Os engarrafamentos, que são reclamações constantes em jogos de grande porte na Arena, desde sua construção, fizeram com que grande parte dos leoninos só conseguissem chegar após o apito inicial.

No intervalo da partida, haviam ainda grandes filas do lado de fora, com torcedores aborrecidos pelo transtorno, esperando a vez de entrar. A própria demora no andamento dessas filas, bastante seguradas pelo policiamento, que realizava as revistas e liberava as passagens de forma pausada, também foram motivos de bronca. Ou seja, vários torcedores fizeram grandes deslocamentos para encarar muito trânsito, muita fila e apenas assistir metade de um jogo ruim.

No entanto, apesar da noite pouco proveitosa da segunda e da chuva de críticas, na quinta-feira (31), a torcida do Leão voltou a colocar um grande público. Desta vez, mais de 14 mil leoninos foram à Arena, novamente num horário não muito favorável (21:30) e debaixo de uma forte chuva, para assistir a uma apresentação decepcionante da equipe. Os relatos de problemas para chegar ao estádio foram significativamente reduzidos: a maioria das críticas se voltou mais para as filas e organização da compra das camisas vendidas a preço promocional.

Pelo lado bom, acima de tudo, está a grande presença do torcedor. Apesar de criticar e de ter notável preferência pela Ilha do Retiro, novamente os rubro-negros fizeram muito bem o seu papel na Arena de Pernambuco. Em dias semana e horários difíceis, mesmo com muitos transtornos que variavam de desorganização à chuva, foram somados mais de 32 mil leoninos. Sem dúvidas, os melhores jogadores do Sport nos dois jogos, entendendo o momento complicado e abraçando a luta do clube, com presença, voz e renda.

Dentro de campo, apesar das atuações fraquíssimas, há algo de positivo a ser ressaltado: a resistência apresentada pelo gramado durante a forte chuva no jogo contra o Coritiba. Diferente do que se viu na Ilha do Retiro, contra o Brasil de Pelotas, onde a bola conseguiu rolar, mas com poças no gramado, na Arena a pelota correu sem qualquer empecilho, facilitando o andamento da partida.

 

Pratique Sport com a gente!