COMPARTILHAR

 

“Esse processo é muito semelhante ao que aconteceu no caso do goleiro Magrão. O Sport me deve e não existe nenhuma dúvida”

 

A fase do Sport está ruim e pode complicar financeiramente ainda mais. O ex-diretor de futebol do Sport Club do Recife colocou na justiça uma causa para buscar um valor que foi emprestado ao clube na gestão de Arnaldo Barros. Segundo ele, são valores próximos de R$ 3,8 milhões entre salário de técnico, folha do elenco e pagamento de premiações.

O bem sucedido empresário, do ramo de educação, alega que o contrato venceu, recentemente, e que não há nada de diferente do seu caso com o do goleiro Magrão. Confira a entrevista dada ao Blog do Wellington Araújo e que foi gentilmente cedida para o Site Eu Pratico Sport.

Repórter – você colocou o Sport na justiça cobrando R$ 700 Mil ?

Laércio Guerra – Na verdade não tem justiça. Tem cobrança na justiça, pois o Sport reconhece a dívida. Apenas a justiça deve ir fazer o contrato ser cumprido.

Laércio Guerra disse que ainda pode parcelar a dívida do clube. (Foto: Sport Club do Recife)

 

Repórter –  Você não acha estranho cobrar o dinheiro da atual gestão, onde você era vice de futebol da antiga? Por que não cobrou quando na gestão passada?

Laércio Guerra – não irei polemizar. Me devem! Não Arnaldo Barros, nem Milton Bivar. Me deve o Sport Club do Recife.

Repórter– Soube que o escritório de cobrança ao Sport é o do ex presidente Humberto Martorelli. É verdade ?

Laércio Guerra – claro que não. Nem ele e nem eu aceitariamos isso. Vou lhe explicar toda a situação.

Emprestei ao Sport na minha pessoa física algo em torno de R$ 700 Mil. Já na minha pessoa jurídica uns R$ 3 Milhões. Isso é um contrato que foi feito, até porque existe uma transferência bancaria minha para o clube.

Esse valor foi emprestado por mim para amenizar um pouquinho a situação financeira do clube na época. Esse contrato venceu agora em Julho/2019. Inclusive, tive uma boa conversa com o presidente, Milton Bivar sobre isso. Foi muita boa conversa para vermos uma forma do pagamento. Só que a conversa não caminhou, e esse processo é muito semelhante ao que aconteceu no caso do goleiro Magrão. O Sport me deve e não existe nenhuma dúvida disso.

A uma confissão de dívida do Sport para comigo, e eu estou aberto a negociar o valor em quantas parcelas for preciso. Não tem nenhum problema em relação a isso. Só que eu preciso de um posicionamento do clube.  É a única forma que temos que fazer para que se cumpra o contrato e via justiça.

Repórter – a repercussão da torcida com você está bastante negativa nas redes sociais, por você não ter resolvido isso na gestão passada. O que você acha ?

Laércio Guerra: sei que tem uma série de pessoas falando bobagens na internet sobre isso. Faz parte e conheço bem. O empréstimo ao clube ficou em torno de R$ 3 Milhões e 800 Mil. Eu paguei uma folha e meia, paguei premiações e paguei o salário de Milton Mendes que ficou quitado.

 

Pratique Sport com a gente!