[História] Leão e Bugre já realizaram partidas que marcaram trajetórias no futebol brasileiro

Elenco Campeão Brasileiro de 1987 confraternizando o ano vitorioso. (Foto: arquivo pessoal do ex-diretor de futebol Ricardo Brito)

 

A maior conquista do futebol pernambucano foi o título de campeão brasileiro de 1987 – vencido pelo Sport – em decisão histórica contra o Guarani

Por Lucas Araújo 

Após uma importante vitória fora de casa, contra o Paraná, na última sexta-feira, o Sport enfrentará nesta segunda-feira o Guarani, na Arena de Pernambuco, onde uma vitória pode ser importante na consolidação leonina no G4. Os dois clubes travam um tradicional duelo do futebol brasileiro, que já decidiu até título nacional e que é marcado pelo equilíbrio no retrospecto geral.

Ao todo, incluindo amistoso, as duas primeiras divisões do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e até mesmo Libertadores da América, são 39 jogos: com 13 vitórias bugrinas e 12 dos rubro-negros. Porém o resultado que mais se repetiu no confronto foi o empate, consumado em 14 ocasiões. Um amistoso vencido fora de casa pelo Leão por 2×1 em 1956 deu início a esse parelho e importante duelo.

A competição que mais recebeu o embate foi a primeira divisão nacional. Nela, Sport e Guarani cruzaram seus caminhos 23 vezes, onde os paulistas levaram a melhor 9 vezes, contra 6 dos pernambucanos. Dentre essas partidas, estão incluídas as duas ocasiões em que cada um conquistou seu título brasileiro. Pelas quartas de final em 1978, o Bugre atropelou, com duas vitórias (2×0 e 4×0), avançando de fase e tornando-se campeão posteriormente. Já em 1987, as equipes se enfrentaram cinco vezes e decidiram o campeonato, visto que foram as únicas que entraram em campo das quatro classificadas para o quadrangular. Com um empate por 1×1, em Campinas, e uma vitória por 1×0, em Recife, os leoninos conquistaram seu maior título, que rendeu sua primeira estrela no escudo.

(Foto: Diário de Pernambuco)

Campeão e vice de 87, ambos estiveram frente a frente novamente na Libertadores de 1988. Já na estreia dos dois times, o Guarani venceu dentro da Ilha do Retiro por 1×0, e também venceria no Brinco de Ouro, desta vez por 4×1.

Os recifenses pararam na fase de grupos, já os alviverdes avançaram até a segunda, onde caíram para o San Lorenzo-ARG.

Na Copa do Brasil, cada um se deu bem uma vez. Na primeira edição, em 1989, repetindo os placares do quadrangular final do Brasileiro de 1987, o Sport eliminou o time campineiro nas oitavas de final, avançando até a decisão, onde perderia para o Grêmio. Dez anos depois, o Índio se vinga na segunda fase e tira o Rubro-negro em plena Ilha do Retiro, com dois empates (0x0 e 1×1) e beneficiado pelo critério de gol fora de casa.

A Série B é o campeonato de menos brilho em que os clubes jogaram um contra o outro, porém, também reserva episódios memoráveis. Em 2005, numa vitória simples do Leão por 1×0, estreava com a camisa 1 do clube o goleiro Magrão, que se tornaria o atleta que mais jogou e mais foi campeão pelo Sport Club do Recife. No ano seguinte, também pela segundona e novamente em território pernambucano, ocorre a maior goleada da história do embate: um sonoro 8×1 para os donos da casa.

A Arena de Pernambuco será palco pela primeira vez deste tradicional duelo nesta segunda-feira. Os dois times chegam para o jogo em situações distintas. A equipe de Guto Ferreira briga pela consolidação na zona de acesso, enquanto os comandados de Roberto Fonseca lutam para sair da zona de rebaixamento. O jogo está marcado para às 20h e apesar do horário, se espera um bom público após a vitória fora de casa sobre o vice-líder.