COMPARTILHAR

(Foto: Santos Futebol Clube)

 

Encontro foi marcado por propostas de conciliação dos dois lados. Representantes do clube e do goleiro saíram bastante otimistas da audiência 

 

Como se diz tecnicamente, a a “audiência inicial” somente acontecerá no dia 25 de setembro. Isso se não acontecer o bem provável acordo entre as partes: subliminarmente falando, a rapidez do caso é a tônica do momento. Por falar em rapidez, a notícia da tentativa de conciliação, dada em primeira mão nas redes sociais do blogger Alessandro Matias e do site Eu Pratico Sport, pegaram de surpresa muitos torcedores, jornalistas e até advogados trabalhistas que têm no seu dia a dia a espera por meses como característica no direito trabalhista.

Traduzindo o caso, o otimismo é latente dos dois lados por causa do primeiro encontro, ontem, na capital pernambucana. Entre os representantes do goleiro e do clube estiveram o diretor Nelo Campos, o VP jurídico Marcos Cabral e o advogado Eduardo Coimbra. Já o goleiro Magrão, que não esteve na audiência e foi representado pelo seu advogado Leonardo Laporta.

De novidade, o clima até certo ponto amigável e bom entre as partes e o desejo de fazer um acordo. Apesar do sigilo judicial, ao site Eu Pratico Sport, Marcos Cabral, VP jurídico comentou: “Foi uma audiência de conciliação. Estamos em negociação para haver um acordo justo entre as partes. Houve propostas de ambos os lados, que estão sendo analisadas”.

Como dito, apensar do goleiro se encontrar em São Paulo, o caso deve se desenrolar nas próximas semanas. É bom ressaltar que Magrão não era obrigado a comparecer na tentativa de conciliação. Já no encontro do próximo dia 25 de setembro, quem demandou a cauda é obrigado sob pena de responder pela ausência e ter prejuízos judiciais.

Pratique Sport com a gente!