COMPARTILHAR

 

Sander jogou 22 vezes pelo Leão no Brasileiro em 24 rodadas. (Foto: Willams Aguiar/Sport Club do Recife)

 

É de se contar nos dedos os jogadores que conseguem a tal da regularidade dentro do atual Sport. De cara, o torcedor idolatra o goleiro Magrão pela sua história e sequência de atuações consistentes na meta rubro-negra. Com razão, o goleiro é unanimidade nos assuntos do Leão, mas outra peça da engrenagem do time leonino, que destaca-se pela imposição depositada em campo: Sander Henrique Bortolotto.

Desde que chegou ao Sport, o lateral esquerdo permanece com a titularidade. Como não falta quem reclame de algo, alguns torcedores destacam a falta de concorrentes para tirá-lo do posto. A fatia maior da torcida credita o jogador como um dos únicos que incorporam o espírito guerreiro do Sport na disputa da Série A. O uniforme sujo e mergulhado no suor, ao final das partidas, são as credenciais de Sander para manutenção da titularidade.

Segundo o site Sofascore, o atleta de 27 anos é o segundo maior interceptador da edição vigente do Brasileirão. Com 69 desarmes, o jogador rubro-negro perde apenas para o zagueiro argentino Victor Cuesta, do Internacional, que possui 75 intervenções. Entre os times os quais concorrem com o Sport, pela permanência na elite, apenas os zagueiros Luís Otávio, do Ceará (53 desarmes) e Igor Rabello, do Botafogo (50 desarmes) figuram no top 10 da estatística.

Com sua carreira toda marcada por passagens em clubes do Sul, Sander surge como uma opção boa para o mercado. Por sua vez, o Sport tem contrato com o jogador até meados de 2020, possuindo 100% dos direitos econômicos do jogador. Nas últimas temporadas, o setor não foi problema: Patrick, Renê e Mena são alguns nomes que jogaram na lateral do Leão e, nos dois primeiros casos, as passagens os projetaram para outras equipes.

Pratique Sport com a gente!