COMPARTILHAR

Por Anderson Batista*

Os números falam por si só na competição. Vice-líder do campeonato brasileiro não poderia ficar em outro posto a não ser na liderança isolada do “seu campeonato”. Por causa dos novos e bons fatos, perguntas surgem: o certame do Sport começa a ser findado ou não? Até onde o Sport Club do Recife chegará, mesmo com suas limitações? Libertadores? Sul-Americana?

Faltam 28 partidas do Brasileirão e caso o Sport some 1 ponto por jogo, na teoria, a equipe pernambucana se manterá na elite do futebol brasileiro. Embora exista os problemas com peças de reposição, conquistar um mísero ponto por jogo até o término da temporada seria desconsiderar o clima favorável, o consistente trabalho de Claudinei Oliveira e de seus comandados.

Uma considerável parcela dos torcedores sabem que a luta do Leão ainda é pela permanência. Assim como existem a fatia de apaixonados e com grande razão de acreditar na manutenção do desempenho ou chegando chegando próximo ao retratado. A cautela é sempre bem-vinda. Entretanto, hoje não dá para falar de Z-4. Nem de longe.

Amanhã, o Leão encara o Vasco da Gama, fora de casa. Podemos até voltar a falar de “campeonato leonino”, na segunda-feira. Contudo, inserir o rubro-negro pernambucano em um texto cheio de números e possibilidades de outras frentes não teria coerência. Hoje, o Sport depende da permanência da sintonia: diretoria de futebol, jogadores, comissão técnica e torcedores: juntos, poderão alçar voos surpreendentes no Brasileirão.

Anderson Batista é radialista e colaborou com o site Eu Pratico Sport.

Pratique Sport com a gente!