[Opinião] Lucas Araújo: “Pouco aproveitado, Eder deixa o Sport”

(Foto: Anderson Stevens/Sport)

 

Zagueiro fez bons jogos com a camisa rubro-negra nas poucas vezes em que jogou na sua posição

 

Por Lucas Araújo

 

Nesta segunda-feira (13), o zagueiro Eder foi anunciado como novo contratado do
Atlético-GO para a temporada 2020. Contratado pelo Sport em meados de 2019, o defensor chegou num cenário onde a dupla titular já estava bem firmada com Adryelson e Rafael Thyere, e atuou com a camisa leonina em 11 partidas, acabando o ano como reserva imediato na campanha do acesso para a primeira divisão.

Já em sua estreia, na vitória por 1×0 contra CRB pelo na Ilha do Retiro, Eder demonstrou
tranquilidade e segurança, repetindo as atuações sólidas quando acionado em sua posição. No entanto, as lesões de Sander e Guilherme Lazaroni fizeram com que o técnico Guto Ferreira optasse por improvisar o zagueiro na lateral esquerda em algumas partidas do primeiro turno.

Sem o ‘‘cacoete’’ para jogar na lateral, demonstrando claras dificuldades no apoio e erros de posicionamento na parte defensiva, o atleta acabou por se queimar atuando no setor. E a imagem de zagueiro seguro construída em seus primeiros jogos pelo Leão dividiram espaço com avaliações mais críticas.

Após um período de oscilação da zaga titular, voltou a ser escalado na sua posição
para o duelo contra o Operário, na Ilha do Retiro, na vaga de Adryelson. Em campo, Eder fazia mais um jogo seguro, porém após uma falha de Rafael Thyere, o camisa 30 acabou sendo expulso por parar o ataque adversário com um pênalti, sendo o último homem antes do gol. Apesar de uma boa partida nos 69 minutos em que jogou, o cartão vermelho acabou ficando marcado e deu abertura para algumas críticas por parte da torcida.

Terminando o ano como um reserva que apesar de se apresentar bem, ficou marcado por episódios pontuais negativos, Eder teve sua saída para o Atlético Goianiense encarada como um ‘‘alívio’’ na folha salarial leonina, devido à situação financeira delicada do clube. Porém, fica no ar a sensação de que o atleta poderia ter sido melhor aproveitado com a camisa rubro-negra e de que o Sport perdeu uma opção interessante para 2020, enquanto manteve em seu elenco Cleberson, que demonstrou bem mais falhas quando atuou, além de ter uma idade mais avançada.

A situação se assemelha ao ocorrido no ano retrasado, quando o Leão abriu mão do
regular zagueiro Henriquez sem maiores esforços, atleta que raramente comprometia. Em contrapartida, foi feito um esforço para manter Ronaldo Alves no elenco, que teve proposta do exterior recusada em meio às dificuldades financeiras vividas na Ilha do Retiro, e ainda o contrato estendido.

 

A opinião do colunista não retrata, necessariamente, a opinião do site Eu Pratico Sport.