COMPARTILHAR

(Foto: Anderson Stevens/Sport Recife)

 

Por Zé Henrique*

 

No livro O Estranho caso de Dr Jekyll e Mr Hide, Robert Stevenson conta a história de Henry Jekyll, um pesquisador que acredita haver o bem e o mal nas pessoas, cria uma fórmula para provar sua teoria. Ao ingerir a fórmula, seu lado demoníaco, Mr Hyde, surge, mas não consegue ser controlado pelo doutor e começa a espalhar terror pelas ruas de Londres.

O “Dr Guto “Jekyll” Ferreira parece ter ingerido a mesma fórmula. Na 12ª rodada conseguiu uma boa vitória contra o Paraná, com a escalação de um time óbvio e dentro da margem de segurança. Todavia, o incontrolável Mr Hyde, resolveu escalar Eder, improvisado, na lateral esquerda contra o Guarani, na Arena, e foi uma catástrofe. Além de queimar o atleta, desmontou o esquema defensivo da equipe.

Mr Hyde se manteve ativo na 14ª rodada, e Eder voltou para a lateral e foi por lá que o Coritiba fez o gol no jogo também na Arena. Dois jogos seguidos em casa e apenas dois pontos. Em seguida, uma derrota para o Criciúma com nova intervenção de Mr Hyde. O gênio malévolo, manteve um Ronaldo abaixo da média na proteção da zaga, mesmo com Yago e João Igor entrando melhor e preteriu Leandrinho.

A culpa pelas derrotas, claro, não é de Eder, que fique claro. Mas da improvisação do técnico que não deu certo e foi mantida com base na teimosia, pois em momento algum mostrou-se que poderia dar certo.

Contra  o Botafogo, Dr Jekyll conseguiu controlar o monstro e o time fez um bom jogo, com os atletas onde deveriam estar, ainda que tenha colocado Juninho e não Leandrinho. Vitória do óbvio. O monstro continuou adormecido contra o Vila Nova e conseguimos nova vitória. O caminho parecia bom e Dr Jekyll Ferreira parecia ter encontrado o antídoto quase correto, pois manteve um certo camisa 37…

Contra a Ponte, o antídoto funcionou e, por um cochilo, não houve uma terceira vitória seguida. Jogo bem aceitável da equipe, mas parece que o remédio adormeceu o monstro e a equipe, que fez jogos muito abaixo da média com Atlético de Goiás e Oeste, este último com lance digno de pelada após ceia de Natal entre Leandrinho e Pedro Carmona.

O Sport tem tudo para subir e voltar à série A, mas é necessário controlar o monstro que vive se rebelando e escalando o time no lugar de Guto Ferreira.

 

Zé Henrique* é jornalista e mora em Recife. 

1 COMENTÁRIO

  1. concordo plenamente com tdsn essas observações. Temos tudo pra subir pra serie A mas esse Dr. Jekill , não pode mais entrar em ação. Se liga Guto Ferreira

Pratique Sport com a gente!