[Opinião] Reforços, saídas e carências: os primeiros passos para 2020

Primeiro objetivo de Guto é a permanência na elite do futebol em 2020. (Foto: Anderson Stevens/Sport)

O Leão já tem se movimentado no mercado atrás da montagem para o elenco em 2020, porém a possível saída de nomes importantes pode exigir uma busca ainda mais criteriosa para recomposição 

 

Lucas Araújo, Recife/PE.

 

Terminada a temporada 2019 em campo, o Sport tem dado os primeiros passos na montagem do elenco de 2020 visando, sobretudo, a disputa da primeira divisão. A diretoria não demorou a executar os primeiros passos do planejamento, renovando com o técnico Guto Ferreira, com o atacante Yan e prestes a anunciar a renovação do volante João Igor, além de já ter oficializado a contratação do goleiro Carlos Eduardo, do lateral Patrick Vieira, do volante Betinho, e do meia Jean Patrick.

Por outro lado, também foram definidas as saídas de alguns nomes como o lateral direito Norberto, o volante Kaio, os meias Marcinho, Léo Arthur e o meia-atacante Marquinho. As situações do zagueiro Rafael Thyere, do lateral direito Raul Prata, do volante Charles e dos atacante Hernane segue indefinida, com a diretoria leonina interessada em manter o atleta, mas enfrentando dificuldades por questões contratuais e propostas de outros clubes.

GOLEIROS

O Sport começa o ano muito bem servido no gol, tendo três arqueiros que já demonstraram condições de assumir a titularidade. O recém contratado Carlos Eduardo se destacou bastante na disputa da Série B pelo Brasil de Pelotas, sendo considerado melhor goleiro do campeonato. O prata da casa Mailson teve um 2019 muito positivo, assumindo a titularidade em fevereiro e se tornando o herói do título estadual. Na Série B, fez um primeiro turno excelente, e apesar da oscilação no começo do segundo turno, era o goleiro
com mais defesas difíceis na segundona até se machucar. E Luan Polli, uma incógnita até outubro, surgiu como ótima surpresa, na reta final, com atuações seguras que conquistaram a confiança dos rubro-negros, sendo decisivo para o acesso.

LATERAIS

Por outro lado, os demais setores ainda demonstram necessidade de reforços. A lateral direita, com a não renovação de Norberto, conta atualmente com Raul Prata e Ewerthon, que se destacou na base. No clube desde 2017, Prata acumula altos e baixos, tendo disputado a Série A duas vezes no Sport e não convencendo sobre dar conta de uma titularidade. Por mais promissor que seja, Ewerthon ainda não tem experiência como profissional, então se faz necessária a contratação de um lateral direito que chegue com status de titular.

No lado esquerdo, o capitão Sander deve continuar para 2020. Mesmo sendo um jogador que se destaca pela dedicação e profissionalismo, ainda carece de alguns recursos técnicos. Portanto, seria ideal que o clube trouxesse mais um lateral esquerdo para disputar a titularidade com ele. Reserva em 2019, Lazaroni não convenceu que pode jogar a primeira divisão em alto nível.

ZAGUEIROS

Em 2019, a dupla Adyelson e Thyere teve um ano regular, com a titularidade no título estadual e no acesso à elite. Porém, em alguns momentos, sobretudo na Série B, houve oscilação e foram evidenciadas algumas deficiências, que chegaram a fazer o técnico Guto Ferreira optar pela escalação de Eder. Para a disputa da Série A, tais falhas e oscilações, principalmente no jogo aéreo, podem custar mais caro, se tornando preciso trazer ao menos mais um zagueiro com status de titular para maior segurança no setor. Eder, reserva imediato, quando utilizado em sua posição, demonstrou segurança e frieza, e é um nome que pode ser mantido junto com o prata da casa Chico, que já mostrou potencial. Já Cleberson, não passou segurança que pode ser uma boa opção na primeira divisão.

VOLANTES

A renovação com João Igor e as chegadas de Jean Patrick e Betinho garantem, em tese, bons suplentes, mas, Ronaldo e Marcão, que não se firmaram na disputa da Série B, também tendem a não ser boas alternativas na elite. O jovem Alê Santos, destaque na base, surge como uma alternativa para receber mais chances e buscar se consolidar no profissional. Reforçar a posição de segundo volante seria a prioridade para o setor.

MEIAS

O Leão encontrou dificuldades para firmar um ‘‘camisa 10’’ em 2019. Sammir teve dificuldades com a forma física, Leandrinho teve bons momentos, mas não foi regular, Carmona não se segurou na titularidade, Léo Arthur e Marcinho não agradaram. E como em 2020, dos citados, apenas Leandrinho talvez continue, a necessidade de reforçar o setor aumenta ainda mais. O meia uruguaio Kevin Mendez, especulado desde a semana passada, chegaria com status de aposta, o que ainda seria muito insuficiente para a criação rubro-negra, além do possível uso do prata da casa Pardal. Se faz então necessária a contratação de um ou dois atletas para o setor.

ATACANTES

Hernane tem situação indefinida, mas tende a permanecer. Porém, apesar do bom 2019 do Brocador, há de se considerar que o atleta já jogou a primeira divisão pelo Sport em 2015 e 2018, e em nenhuma das ocasiões foi bem.

O ideal seria trazer outro centroavante para assumir a titularidade, tendo Hernane como reserva imediato. Nas pontas, a diretoria acertou na renovação de Yan, porém, do outro lado, Hiury encerrou muito mal o ano, deixando dúvidas sobre ser uma boa opção para a primeira divisão. Trazer ao menos dois pontas, um para suprir a lacuna de Guilherme, e outro para assumir o lugar de Hiury, daria mais segurança ao setor, que também deve contar com o uso do novamente promovido à equipe principal Pedro Maranhão.

Quanto a Elton e Juninho, que tiveram um ano ruim na Série B, e criaram certo desgaste com a torcida, não tendem a ser boas alternativas diante de adversários ainda mais nivelados, e como tem contrato, poderiam ser negociados, abrindo espaço inclusive para o prata da casa Mikael, que teve ótimo ano na base pela segunda vez seguida.