COMPARTILHAR

 

Por Fábio Brito*

 

No Mundo dos negócios as empresas que passam por uma crise financeira grave precisam se reinventar para não falir. Não há mágica para sair da crise. O que há é muito trabalho a se fazer, A literatura dá o norte quando ocorre uma crise e é preciso identificar as causas, rever as estratégias, ajustar o planejamento, construir e executar um plano de ação. Vejo, claramente, que a mesma coisa está ocorrendo com o Sport. Sinto que está havendo o começo de uma reinvenção no nosso Clube.

A nova gestão, liderada pelo Milton Bivar, pegou um grande abacaxi para descascar e está fazendo um grande esforço para reerguer o nosso Sport novamente. A mescla da velha e da nova geração de rubro negros está unida e dando liga e o time de futebol foi montado com boas peças. Acredito que com mais algumas peças vai ser bem competitivo para disputar a série B e conseguir o acesso.

Na diversas áreas do Clube temos torcedores abnegados fazendo ações importantes para reerguer o Sport como a construção de um novo estatuto, a implementação da compliance, a criação do portal de transparência e outras ações estão promovendo aproximação torcedor.  Essa aproximação, consequentemente, trará receitas com ingressos e também com a anuidade de sócios entre tantas outras alternativas. Receitas essas que farão com que o nosso amado Sport mantenha a folha em dia e liquide outras dívidas.

É preciso destacar as ações de torcedores, como da Embaixada da Base, que vêm fazendo campanhas para arrecadar recursos para equipar o hotel da base e das meninas das Leoas da Fuzaka, que fizeram escudos para vender para ajudar o Sport.

O nosso Sport é gigante e é o maior do Nordeste, Não será um rebaixamento e nem um passivo de R$ 118 milhões que vai nos destruir: nunca duvide do Sport. E Pelo Sport tudo!!!

Fábio Brito é torcedor do Sport e mora em Brasília.

O texto não retrata, necessariamente, a opinião do site Eu Pratico Sport. 

Pratique Sport com a gente!