Blogueiro Cassio Zirpoli vence, na justiça, causa contra agressor

22398584399_9ec8b61623_bTodo comunicador está sujeito as inúmeras situações inesperadas sobre a comunicação direta com o público. E essa é uma das situações que desafiam sempre profissional.

Nos dias atuais, onde existe uma sensação (errada) de impunidade e de “tribunais” nas redes sociais, alguns ainda teimam em achar que é a internet é “terra de ninguém”, e se escondem em fakes ou mesmo colocando as suas “verdades” (com a cara limpa) em um “julgamento” popular.

A verdade é que a internet é local para gente que sabe se expressar com educação e tem em mãos os seus direitos e deveres como cidadão: não é “terra de ninguém” e está sujeita a um prejuízo de ordem moral e financeira.

Estávamos acompanhando essa causa do amigo, e tivemos uma conversa com o blogueiro Cassio Zirpoli, recentemente. No contato, expressamos o nosso apoio e indignação, típicos de um agente que também sente na pele a ignorância e a falta de conhecimento dos limites da democracia. Afinal, aqui no site EPS, vez em quando, também aparecem os forasteiros que querem mídia e aparecer.

Como no exemplo dado no post, também gravamos e salvamos todas as agressões que ultrapassem as fronteiras de uma sociedade civilizada. Afinal, estudamos o direito brasileiro para usá-lo no momento certo, não?

Parabéns ao amigo Cassio Zirpoli pela vitória nos tribunais. Esse será, sem dúvida, mais um exemplo que usaremos sempre que for preciso.

Segue abaixo o post do amigo Cassio Zirpoli sobre o caso:

 

Sentença sobre ação de responsabilidade civil a favor do blog, por respeito

Como (único) responsável pelo blog de esportes do Diario de Pernambucodesde o seu início, em 3 de agosto de 2008, já produzi quase 9 mil postagens, moderando o fórum de discussão, com mais de 56 mil comentários liberados até hoje, 17 de junho de 2016. Neste tempo todo, procurei interagir com os leitores, seja no blog ou nas minhas redes sociais (cassito_z no twitter eblogdecassiozirpoli no facebook). Ou seja, trabalho no campo da internet.

Discussões são normais, divergir no futebol é natural. Com respeito. Nem sempre é possível, ainda mais na web, que parecia ser uma terra de ninguém, mas até para isso existe um limite. Por isso, nesse tempo todo, apenas um caso de ofensa contra a minha pessoa mereceu um ato além do “block”, com a resposta da justiça. A sentença transitou em julgado, com o seguinte trecho do juiz de direito Cláudio Malta de Sá Barreto Sampaio:

“Embora a liberdade de expressão tenha cunho constitucional, ela não é absoluta. Deve ser exercida com consciência e responsabilidade, em respeito a outros valores protegidos pela própria Constituição, tais quais a vida privada, a honra e a imagem das pessoas.” 

Obs. Agradeço ao empenho do advogado Ricardo Marques.

Eis a íntegra da sentença, mostrando que há limite para debater futebol…

 

 

Texto originalmente postado no blog, parceiro, “Esporte por Cassio Zirpoli”, no Diário de Pernambuco.