Sport: patch de Campeão no peito e futebol de time rebaixado

Marca oficial do Nordestão

E mais uma vez o Sport faz uma péssima partida na Copa do Nordeste 2015. Uma Copa que seria, na teoria, para o torcedor rubro-negro bater no peito e dizer: “respeitem o atual campeão!”. Seria.  Seria também uma grande oportunidade de exibir, com orgulho, o path de Campeão da Copa do Nordeste 2014, que a organização promoveu no jogo de ontem. Path de campeão no peito e futebol de time rebaixado foi o que constatamos.

O que se vê, até o momento, é um futebol fraco, cheio de oscilações (mais para apresentações ruins do que boas) e muita esperança de que o “motor” comece a funcionar.

O interessante é verificar que são as mesmas peças do ano passado. Ou quase todas. Uma base foi mantida e todos os torcedores e imprensa (inclusive eu) afirmaram que seria um elenco com grande superioridade, neste primeiro semestre, na disputa do Campeonato Pernambucano e da Copa do NE.

Será que com a chegada de mais alguns reforços o time poderá ser aquele que esperamos? Chegando mais um zagueiro, dois meias, dois laterais direitos, dois laterais esquerdos e um atacante será a solução? Ou será que tem que mudar a forma de jogar e dar um se ligue no elenco?

São perguntas que não podemos responder nesse momento. É difícil a situação do Sport quando percebemos que já estamos vendo a reta final para o Campeonato Brasileiro de 2015. Sabe quando chega outubro e já escutamos as promoções do Natal? Pronto. A torcida já tem aquele frio na barriga, um pouco de medo e muitas dúvidas do que pode ser o Natal de 2015 na Ilha do Retiro.

O que nos resta? É esperar que esse elenco tenha atitude, vontade de jogar e que vistam, como já falei por aqui, a camisa do Sport com respeito e a mesma alegria que outros ídolos deram para a nação rubro-negra. E um pouco menos “convicção” também é importante.

Sobre o jogo de ontem? Que jogo? Vamos combinar uma coisa? Primeiro vamos agradecer ao “São Magrão”. Sem ele, essa Copa já teria ido para o espaço desde ontem. Obrigado Magrão.

Quanto ao papelão de ontem, é bom nem perder tempo. Afinal, fora Magrão, quem jogou bola?